quinta-feira, 25 de junho de 2009

Excesso de crença

Sempre ouço falar em crise de credibilidade, falta de credibilidade, mas acho que temos problemas também com excesso de crença. Não quero falar sobre crenças religiosas, apesar do babalaô esotérico-espiritual esteja a mil por hora. Disso falarei oportunamente.

Na verdade, quero falar sobre uma crença específica – ou pelo menos imagino que seja, tanto ela é repetida por jornalistas, autoridades e até por gente do povo – de que no Poder Legislativo (fiquemos no Federal, pra não embrulhar demais o estômago) tem eleitos honestos e comprometidos com o bem do Brasil e dos brasileiros. Penso que isso seja o que chamei de excesso de crença.

Há pouco a Imprensa noticiava o escândalo das passagens aéreas. Claro, há outros abusos além deste. Fiquemos neste. Foram ventilados nomes de vários senadores e deputados que fizeram farra danada com essa “regalia”. E outros, posaram de “santa” em muitas declarações à Imprensa. Agora você acredita mesmo que esses últimos não “deitaram o cabelo” nessa farra, também? Porque a lei (imoral) que dava passagens a uns, dava aos outros. Igualzinho. Esses “honestos” também tinham o direito a passagens, garantido por essa lei (imoral). E desfrutavam o direito, claro. Eles gozam dos mesmíssimos benefícios dos “sacanas”. Em resumo, são todos sacanas.

Bem, se você quer acreditar, precisa acreditar em algo em relação ao Legislativo, sugiro acreditar acreditar nisso: lá dentro todo mundo é desonesto, por ação. A omissão, se houver, também é ação criminosa.

4 comente aí::

Rê Cicca disse...

Na verdade os desonestos somos nós que, enquanto estilingue, lutamos, fazemos passeatas, revoluções, pintamos a cara, mas dê o poder pra qualquer ser humano, em especial a um brasileiro. Aí a coisa muda de figura, cada um por si, que eu quero me dar bem...Somos todos um bando de gersons!

Guto disse...

A Grande Merda é que ninguém mais respeita a lei nesse País. De deputado a gari. Aí, esses putos, que já faziam as roubalheiras, mas às escondidas, agora escancararam e, didaticamente, ensinam os brasileiros a serem mais safados ainda do que permitiria sua genética tripartite...

Claudia disse...

Quem seriam os eleitos honestos?

Guto disse...

Foi exatamente isso que chamei de excesso de crença, Claudinha...

Quando um repórter, por exemplo, diz: "Sabemos que há políticos honestos, mas uma minoria no Senado... e blá, blá, blá...", pra mim isso é excesso de crença... quem fala isso tá acreditando demais...