terça-feira, 28 de julho de 2009

Pequena história de Carl Sagan sobre o Misticismo

- Tem um dragão que cospe fogo pelas ventas na minha garagem.
- Mostre-me
Ele vai até a garagem, olha e vê uma escada de mão, latas de tinta vazias e uma bicicleta, mas nada de dragão.
- Onde está o dragão?
- Esta alí! Esqueci de dizer que ele é invisível...
- Então vamos espalhar farinha no chão para tornar visíveis suas pegadas.
- É uma boa idéia, mas ele flutua no ar.
- Então vamos usar um sensor infra-vermelho para detectar o fogo invisível.
- Uma boa idéia, mas o fogo também é desprovido de calor.
- Bem, podemos borrifar um pouco de tinta e tornar o dragão visível.
- É uma boa idéia, mas pelo fato do dragão ser incorpóreo a tinta não vai aderir. Veja bem: o que eu estou pedindo é que você, mesmo em face da ausência de evidências, acredite na minha palavra!

Parece coisa de maluco, não é? Mas a grande maioria de nós, seres humanos, defendemos o “dragão”.
Acreditamos sem questionar, sem indagar, passando por cima de uma ciência que estuda, que analisa todos os meios, todas as possibilidades e que, apesar de todas as evidências da não existência desse “dragão” nunca fecha a questão como um não absoluto. Deixa sempre uma porta aberta para novos estudos.
E como diria Einstein: “Nossa ciência pode ser primitiva e até infantil, mas ainda é o melhor que temos!”

1 comente aí::

Bia Azevedo disse...

é isso aí. gostei desta do dragão. to cheia dos crédulos, quero ler estas coisas além da fé. fé para mim é paixão pelo que posso fazer e acontecer. abraço. Bia Azevedo